De olho no Aedes

Aumento dos casos de Febre Amarela na cidade gera preocupação

A proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor do Zika vírus, da dengue e do chikungunya é favorecido pelo clima quente e úmido, presente na maior parte do Brasil. O aumento dos casos de Febre Amarela então, têm criado uma preocupação extra entre síndicos e administradores de condomínios para evitar a presença dos mosquitos transmissores.

Selene Lopes Marin, advogada na Flama Administração Predial alerta que com o calor e as chuvas constantes, o verão é o período considerado o mais crítico para a proliferação dos mosquitos responsáveis pela transmissão da doença. “Orientamos nossos Síndicos afazer a dedetização no condomínio no período de outubro a novembro, período esse que ocorrem a formação de novas colônias. Fazer dedetização no condomínio entre o período de outubro e novos todos responsáveis pelo convívio com esse mal, mas é bom lembrar que a dengue mata e que o maior problema são os criadouros, que devem ser eliminados.”, detalha. Nos condomínios, cabe ao síndico orientar funcionários e moradores. É fundamental que cada morador verifique os possíveis focos e adote as medidas necessárias para evitar a proliferação em seu apartamento. E ainda complementa. “Acreditamos que em condomínios, moradores também precisam viver dentro dos limites legais e síndicos têm o poder de advertir e aplicar multas a quem esteja agindo em desacordo com o regimento interno ou convenção condominial. Normalmente antes da aplicação da multa é requisito uma advertência por escrito. Porém, algumas ocorrências não são passíveis de advertência e devem ser aplicadas multas diretamente como no caso de má utilização do salão de festas. Na aplicação da multa ou da advertência é importante que se conceda ao condômino o direito de defesa em assembleia.”

Mas será que moradores que desobedeçam as regras ditadas pela norma devem ser multados caso atrapalhem os cuidados ou causem a proliferação do mosquito? No início basta o sindico aplicar um aviso ou até uma advertência, porém se o morador continuar, aí sim ele pode receber em uma multa. Porém orientamos a conversar pois é a melhor maneira para resolver as coisas mostrando os pontos positivos e negativos da questão. Felipe Haddad Conserino, da Service Assist explica que é preciso orientar da melhor maneira todos os moradores, com avisos e solicitar aos funcionários da nossa empresa que acompanhe as ações junto ao sindico para sanar esse problema. E sugere algumas ações de acordo com cada caso:

Febre Amarela: verificar no posto de saúde mais próximo para que eles possam ir até o condomínio, aplicar vacina as pessoas que ainda não tomaram.

Dengue: sempre orientar os funcionários a observarem todos os possíveis focos de dengue e retirar o mais rápido possível do condomínio.

Ele relata ainda que na maioria dos casos a dedetização é feita pelo condomínio e ele arca com os custos, porem dedetização normal, pois Febre amarela conseguimos evitar somente com a vacina e dengue temos que acompanhar periodicamente todos os possíveis focos a serem combatidos.

A advogada Selene explica ainda que é preciso existir um consenso de que é necessário contratar serviços de dedetização semestralmente. Isso garante que as pragas não tenham a chance de proliferar e causar estragos à saúde dos condôminos. “É necessário contratar empresa especializada e com licença ambiental ativa, caso seja observada a semestralidade, não há necessidade de novas dedetizações entre as datas, salvo alguma infestação.”, finaliza.