Embarque para Rússia

Condomínios: como se prepararem para a Copa do Mundo

De junho próximo a julho, será realizada a Copa do Mundo e é importante que os condomínios possam garantir aos seus moradores tranquilidade nos horários das partidas do Brasil. Segurança e respeito às regras de barulho são os primeiros pontos a serem discutidos e, claro, aperfeiçoados para que não aconteçam problemas. Entretanto, também é o momento de a gestão promover maior integração entre os moradores por meio de atividades de entretenimento e ações específicas nos dias de jogos da seleção.

Sobre respeito às regras, Adriana Jorge, diretora da 3A Consultoria Predial, explica que é fundamental que haja um acordo antecipado ao período do evento para que situações ruins possam ser evitadas. “A reunião para o acordo deve envolver moradores, gestão e profissionais que atuam no condomínio. Tudo isso para que o acordado possa ser seguido. Nos dias de jogos a empolgação toma conta do morador, mas o espaço democrático do condomínio também atende pessoas que não gostam de futebol. Aí que o essencial é encontrar o meio termo para não acarretar desentendimentos.”, disse.

A profissional também enfatiza que a segurança do condomínio passa por trabalho em conjunto para que seja eficaz. “A empolgação dos dias de jogos não pode tomar conta dos profissionais que atuam no condomínio. Pelo contrário, aí que a atenção deve ser redobrada. A portaria é um exemplo. Muitos moradores devem receber amigos e demais convidados para assistir aos jogos nos apartamentos ou no salão do espaço. Ou seja, o volume de visitantes deve aumentar consideravelmente. Por isso a atenção com os detalhes e seguir o protocolo de segurança é fundamental.”, argumenta Adriana.

Segundo Alexandre Berthe Pinto, advogado membro da comissão de direito condominial OAB/SP, ainda que a Copa do Mundo seja um evento que seja de interesse de várias pessoas e seja um acontecimento extremamente comemorado, no âmbito da vida condominial, as regras não devem ser alteradas, podendo, no máximo, existir maior flexibilização para situações pontuais.

Ele separa alguns pontos que devem ser levados em consideração:

Barulho

É natural que em decorrência dos jogos deva existir uma maior flexibilização com relação ao barulho, contudo, sempre que o bom senso for extrapolado o síndico deverá advertir os infratores e, caso o excesso de barulho prevalece, a multa deverá ser aplicada, cabendo ao interessado recorrer, segundo as regras condominiais, que normalmente submetem à mantença da multa ou sua isenção à assembleia, que é soberana para decidir sobre a questão. “Desse modo, o síndico, ainda que o evento culmine com a necessidade um maior “jogo de cintura” não poderá se furtar em cumprir as regras condominiais, até porque, não necessariamente, todos os condomínios são fãs de futebol e/ ou torcerão para o Brasil, portanto é fundamental que a individualidade de todos sejam respeitadas.”, detalha ele o especialista.

Aluguel Dos Espaços

O aluguel dos espaços, como salão de festas, churrasqueiras e outros devem obedecer ao previsto em cada regra condominial de cada local.

Enfeites

No período dos jogos, como em outras épocas comemorativas, deve existir por parte do síndico maior ponderação, ou seja, deve se permitir que bandeiras e outros apetrechos sejam exposto, contudo, deve ser veemente proibido a utilização das áreas externas fachada, ou seja, a pessoa pode pendurar uma bandeira, desde que não corra o risco de queda, mas, é proibido que qualquer enfeite fique pendurado sujeito à queda. Quando isso ocorrer o condômino deve ser convocado a retirar o enfeite imediatamente, sob pena de multa, que poderá, inclusive, ser aplicada de forma reiterada, tamanho os riscos que é para a vida condominial a queda de qualquer objeto. “Quanto aos enfeites nas áreas comuns, participação dos condôminos ou não, cada nicho condominial deverá decidir o procedimento que adotará, respeitando suas próprias regras, decisões assembleares e fluxo de caixa.”, completa.

Felipe Haddad Conserino, da Service Assist alerta que inicialmente, independente de Copa do Mundo, todos os moradores devem apelar pelo bom senso, pois muitos gostam, porem outros não! Então cada um assista o jogo da melhor forma sem incomodar o vizinho, seja ele qual for pois todos moram no mesmo local e o respeito deve prevalecer. Ações como cartazes nos elevadores podem ajudar a manter a ordem nos dias de jogos. “A Lei do silêncio deve prevalecer, pois não é somente após as 22hs que precisa parar o barulho, todos moram em “comunidade” no condomínio, sendo assim precisam optar pelo bom senso e não incomodar o próximo, pois se não for respeitado, o sindico encaminha uma advertência e se não resolver a multa é a última alternativa.”

A questão do entretenimento figura como alternativa positiva para os condomínios nos períodos pré e durante a Copa do Mundo. Isso serve para que gestão possa agregar mais integração e motivação aos moradores é promover atividades que possam atingir todas as idades.

O caminho para que a gestão do condomínio obtenha êxito nisso é contar com a ajuda de empresas especialistas em eventos esportivos. Raony Pacheco é diretor da RP2 Sport Marketing, empresa especializa em eventos esportivos, e explica que o objetivo é criar ações para que todos os moradores possam participar. “A empresa especializa vai até o condomínio e elabora a estratégia para que todos os moradores possam se divertir com a Copa do Mundo. Assim, não temos a exclusão e, sim, a inclusão e integração. E isso reforça que a gestão está preocupada em proporcionar alegria aos participantes no seu espaço residencial, com conforto e entretenimento.”, afirma.

As ações de entretenimento podem utilizar todos os espaços esportivos do condomínio, além de, também, serem criadas demais atividades pontuais que utilizam os salões e outros espaços, como campeonato de vídeo game, jogos de futebol de botão, bolão e criação de ambiente personalizado para assistir os jogos do Brasil, com alimentação e bebidas inclusas.

O advogado Alexandre Berthe alerta que especialmente em condomínios verticais, o uso de fogos de artifícios, de qualquer tipo, deve ser proibido, sendo fundamental que existam avisos reiterando a proibição, o infrator dessa regra, tamanha sua gravidade, muitas vezes sequer precisa ser advertido, sendo o caso de impor a multa de imediato, sem prejuízo de outras sanções cíveis e penais decorrentes de um evento danoso.

Assim, ainda que seja um evento grandioso, é fundamental que exista conscientização de todos, pois, é provável que em algumas situações abusos ocorram e, dependendo da sua gravidade, o síndico poderá intermediar uma solução pacifica, porém, em prevalecendo o impasse, por disposição legal, o síndico não poderá se furtar em cumprir as regras condominiais, podendo, contudo, em alguns casos, transferir para uma decisão assemblear a mantença ou não dos atos infracionais aplicados no período. “Em outra seara, diferentemente do Ano Novo, a Copa do Mundo se estende por vários dias, são vários jogos de vários países em horários diverso, devendo ser incentivado no âmbito condominial uma esfera pacifica, sem rivalidade e que exista moderação. Desse modo, o mais importante é que todos tenham bom senso, que curtam os jogos, torçam, mas que tenham a consciência de que tudo que extrapolar o limite pode ser punível pelas regras condominiais e, principalmente, pelo código civil.”, finaliza o especialista.